Lipoaspiração ou Lipoescultura

LIPOASPIRAÇÃO  ou  LIPOESCULTURA

Cirurgia Plástica para Remoção de Gordura Localizada

 INFORMAÇÕES GENÉRICAS:

Lipoaspiração é o nome dado a uma técnica que consiste em retirar o excesso de gordura através de um aparelho de sucção (aspiração à vácuo) ou seringas. Por sua vez, a lipoescultura consiste em utilizar a própria gordura retirada para modelar partes do corpo ou preencher depressões. Ambos são procedimentos que podem ser realizados isoladamente ou associados com intervenções outras, tais como as plásticas totais ou parciais de abdome, face ou mamas.

Esse procedimento tem, por maior vantagem, deixar um mínimo de cicatrizes que, após amadurecidas, tornam-se praticamente imperceptíveis.

A técnica mais utilizada é a tumescente, na qual se injeta uma combinação de medicamentos, com diferentes finalidades na área a ser lipoaspirada.

A lipoaspiração demonstra melhores resultados quando o paciente está próximo do seu peso ideal e a faixa etária considerada ideal à lipoaspiração é de 16 a 35 anos, já que quanto maior a elasticidade da pele, desenvolvimento e o tônus muscular do paciente, fonte de apoio e contorno dos tecidos aspirados, melhor o resultado.

Durante a lipoaspiração só é possível remover um volume limitado de gordura em cada sessão operatória. A razão desse limite baseia-se no fato de o material adiposo (gorduroso) aspirado do corpo vir sempre acompanhado de outros elementos importantes, como sangue, linfa, eletrólitos, etc, que, se removidos em excesso, podem causar sérios riscos ao paciente, sendo o mais perigoso deles o choque hipovolêmico, ocasionado pela diminuição grande e/ou súbita de fluídos no organismo. Em certos casos, o cirurgião poderá requisitar que o paciente doe seu próprio sangue antes da cirurgia, para seu uso eventual durante a mesma( auto-transfusao).

A lipoaspiração é contra indicada em paciente com problemas circulatórios ou doenças pulmonar e cardíaca.

Quanto à preservação das regiões lipoaspiradas, uma pergunta comum entre os pacientes pretendentes à lipoaspiração, é se a gordura localizada voltará ao mesmo local se engordarem. A resposta a essa pergunta é: se houver ganho de peso, haverá aumento de tamanho em todas as partes do corpo, inclusive nas partes lipoaspiradas. Todavia, o aumento dessas áreas será proporcional aos novos padrões anatômicos adquiridos após a cirurgia.

PRÉ OPERATÓRIO: 

Exames:        

Hemograma

Coagulograma

Bioquímica: Sódio, Potássio, glicemia, creatinina, SGOT e SGPT.

Eletrocardiograma + Risco Cirúrgico (cardiologista).

Fotografias:

Pré e pós-operatória.

Objetiva a avaliação e programação da técnica cirúrgica a ser usada, assim como a comparação do pré e pós-operatório e a documentação científica.

Essas fotografias auxiliam a avaliação do contorno corporal, bem como servem de referência durante a intervenção cirúrgica.

Consulta pré-anestésica: 

É importante que, previamente a cirurgia o paciente se consulte com o anestesiologista. Essa consulta é importante para o paciente adquirir confiança no procedimento anestésico, bem como informar ao médico possíveis doenças preexistentes e medicações tomadas.          

Tempo de duração:

O tempo de duração, é de 1 à 3 horas em média.

Anestesia:

Depende das condições de cada paciente e da área a ser lipoaspirada, pode variar  entre: geral, peridural ou local mais sedação.

Gravidez:

Caso ocorra uma nova gravidez após a cirurgia, o bom resultado da lipoaspiração pode ser preservado pelo controle de peso durante a gestação.        

Dor:

A lipoaspiração é considerada uma das mais dolorosas cirurgias plásticas e isso se devem ao fato de ser manipulada uma grande área do corpo. Todavia, a sensação dolorosa que existe quando o paciente se movimenta, costuma não acontecer quando ele está em repouso e seu controle se faz através do uso de analgésicos.

Riscos:

Os riscos da intervenção cirúrgica, são minimizados com a consulta onde o paciente informa ao médico eventuais problemas de saúde, uso de medicações, fumo, problemas anestésicos anteriores. Realiza todos os exames pré-operatórios e consulta pré-anestésica.

O paciente fumante sempre apresentará um risco maior de complicações como TEP (tromboembolismo pulmonar).

Quanto maior o volume retirado e quanto mais áreas forem lipoaspiradas, maior o risco para o paciente.

Orientações:  

  • As medicações tomadas devem ser do conhecimento do cirurgião.
  • Suspender com 10 dias de antecedência: AAS (aspirina, Rhonal, Buferim, antigripais), antinflamatórios, anorexígenos (remédios para emagrecer).
  • Não suspender os remédios para doenças crônicas como diabetes, hipertensão e cardiopatias (tomar inclusive no dia da cirurgia).
  • Jejum absoluto, por 6 hs antes da cirurgia.
  • Internar com pelo menos uma hora de antecedência.
  • Levar para o hospital todos os exames complementares.
  • Levar para o hospital o modelador elástico.
  • Não levar jóias para o hospital.
  • Em caso de doenças agudas como: gripe, febre, infecções (urinária, ginecológicas, vias aéreas, intestinais ou de pele) , devem ser comunicadas ao cirurgião com a máxima antecedência.
  • Evitar bebidas alcoólicas e refeições fartas na véspera da cirurgia.
 A RESPEITO DA TÉCNICA

Cicatrizes:

A cirurgia plástica não é isenta de cicatrizes, procuramos localizá-las em posições anatômicas inaparentes, uma vez que serão permanentes.

A qualidade das cicatrizes depende de vários fatores como: técnica cirúrgica, cuidados pós-operatórios, hereditariedade, segmento do corpo, idade, qualidade de pele do paciente.

No caso da lipoaspiração, são realizados pequenas incisões de 2 a 4 mm, por onde são introduzidas as cânulas metálicas para aspiração da gordura.

As cicatrizes sofrem um processo de evolução. Em cerca de 24 horas a cicatriz já está impermeável, em uma semana os bordos estão aderidos, (podendo iniciar-se a retirada de pontos). Porém elas permanecerão avermelhadas e endurecidas por vários meses, e posteriormente tornar-se-ão macias e adquirirão a cor da pele.

PÓS-OPERATÓRIO:

O paciente, habitualmente, fica internado de 12 à 24 horas.

É importante que alguém busque o paciente no hospital e que lhe dê apoio em casa, no período pós-cirúrgico de uma semana.

O curativo será feito no ato operatório, e será trocado com 48 hs. Recolocar o modelador elástico, que deverá ser retirado somente para tomar banho.

O uso do modelador tem como finalidade e função sustentar a área lipoaspirada, conter a hemorragia (sangramento), o edema(inchaço) e o hematoma(coagulo) pós cirúrgico,  e é colocado assim que o procedimento acaba, ainda no centro cirúrgico. O modelador promove, ainda, a rapidez na aderência da pele aos novos contornos corporais. Por essas razões, recomenda-se que o paciente tenha duas peças modeladoras, facilitando sua troca e lavagem.

Do 7o ao 10 dia P.O. inicia-se a retirada dos pontos.

O micropore deverá cobrir as cicatrizes por 30 dias, sendo trocado semanalmente, e visa protegê-la e evitar seu alargamento. Posteriormente a cicatriz deve ser massageada  com creme hidratante ou Omcilon creme diariamente (conforme a indicação).

O banho de chuveiro é permitido após 48 hs da alta hospitalar, não sendo necessário trocar os micropores,  apenas secá-los bem.

No 7º dia P.O. inicia-se a massagem e drenagem linfática. 

Alimentação:

Dieta leve após acordar bem (4 hs) e livre posteriormente,  valorizando muito a ingestão de líquidos isotônicos como: Gatorade e sucos de frutas frescas. A alimentação é importantíssima para prover o restabelecimento do organismo e, para que isso se dê da melhor maneira, é preciso ser rica em calorias, sais minerais e proteínas. Dê preferência à ingestão de frutas, verduras, legumes, carne magra e caldo de carne. 

Orientações:

  • Repouso relativo em casa nos primeiros 7 dias.
  • Banho completo no 2º dia após a cirurgia, sem remover o curativo de micropore.          
  • Não  fazer esforços físicos por 7 dias; após esta data, pode-se iniciar caminhadas diárias, em horário onde o sol seja brando. Ginástica, musculação, natação e outros esportes que produzam impacto ou grande esforço físico, somente após 15 dias.
  • Usar o modelador elástico por 60 dias. Nos primeiros 30 dias, usá-lo 24 horas por dia, nos 30 dias seguintes usá-lo durante o dia, tirando-o somente para dormir. Após esse prazo, usá-lo de acordo com orientação médica.
  • Banho de sol, somente após 90 dias e com o uso de filtro solar com FPS > 30.
  • A sensibilidade da pele, permanece alterada por alguns meses, retornando ao normal gradualmente.
  • Áreas mais endurecidas podem ocorrer, é devido a formação de coágulos e edema que desaparecerão em semanas.
  • Atividade sexual após 2 a 3 semanas.
  • Obedecer rigorosamente à prescrição/orientação médica.
EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRIA

No 1º mês, são comuns as esquimoses (manchas roxas) e o edema (inchaço). As regiões operadas ficam entumecidas e muito sensíveis ao toque.

Do 1º ao 6º mês o edema começa a desaparecer, mas caso existam hematomas (coágulos), a área se torna irregular, com variações de níveis e de consistência da pele que também pode se tornar endurecida e com parestesia (pouca sensibilidade tátil). Contudo, progressivamente, essas áreas irão readquirindo seu contorno, consistência e sensibilidades normais. Durante esse período, é importante que o paciente não tome sol nas áreas operadas.

Após o 6º mês o resultado final costuma se fazer visível,  a pele e regiões subcutâneos readquirem seu aspecto e sua consistência normais, podendo esse espaço temporal variar de paciente para paciente.

Antes da cirurgia, é incomum que ambos os lados do corpo sejam idênticos. Da mesma maneira, após a cirurgia de lipoaspiração, pequenas diferenças existirão, o que é normal em cirurgia de estruturas pares. A lipoaspiração, devido a seu método cirúrgico de sucção, não é uma cirurgia de precisão, por essa razão, é comum a necessidade de retoques. Portanto, independente do trabalho médico ter sido feito com o maior zelo, perícia e cautela, pequenas imperfeições ou complicações podem ocorrer. Porém, como o resultado da lipoaspiração é sempre um pouco tardio, qualquer avaliação de retoque só deverá ser feita, em média, de seis meses a um ano após a intervenção. Em casos de confirmação da necessidade de pequenas correções cirúrgicas, estas serão realizadas sob sedação e anestesia local, não sendo necessário a reinternação do paciente.

Consultar essas instruções tantas vezes quantas se fizerem necessárias para esclarecer e eliminar perfeitamente todas as suas dúvidas. Restando algum questionamento contatar o cirurgião.

 

icon-foneFone/Fax: (41) 3339-6009
icon-fonewhatsapp  (41) 99659-0909
icon-localeRua Martim Afonso, 1363  |  Champagnat  |  Curitiba - PR  |   Brasil  |  CEP: 80730-030